A curiosa sincronia do Pink Floyd com Mágico de Oz

Se você está na internet há um tempo considerável, deve com certeza conhecer o “efeito” The Dark Side of the Rainbow — que é a sincronia entre um disco do Pink Floyd com o clássico O Mágico de Oz (1939).

Mas se não conhece, deixa eu te contar: lá nos anos 90, alguém (que ninguém sabe quem é) descobriu que The Dark Side of the Moon, disco de 1973, sincroniza quase que perfeitamente com o longa. Os cortes, as viradas, as entradas e saídas dos personagens, a tensão ou os momentos de calma combinam com as melodias e letras das canções do icônico disco de uma maneira que ninguém até hoje realmente entendeu. E esse é um dos mistérios mais legais do mundo do entretenimento — até porque os membros do Pink Floyd negam com todas as forças que tenha sido proposital.

Para você ter uma ideia, enquanto Dorothy balança em cima de um muro, o verso de “Breathe” que diz “balançando na maior onda” é cantado; quando o Espantalho surta, a banda canta “o lunático está na grama”, trecho de “Brain Damage”; e um dos mais legais é a batida de coração da música, que toca bem na hora em que a protagonista encosta o ouvido no peito do Homem de Lata.

Bem, durante todos esses anos, várias pessoas colocaram em prática o efeito e divulgaram na internet versões já editadas e sincronizadas do filme com o disco. Neste ano, porém, um usuário do YouTube chamado dumwyteguy resolveu consertar algumas falhas na sincronia e postou uma versão otimizada de Dark Side of the Rainbow. Assista ao fim da publicação!

Fonte: TENHOMAIS DISCOSQUEAMIGOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *